sexta-feira, 16 de março de 2012

Duff Mckagan: Perguntas & Respostas em sessão de chat


Já fazem 5 meses desde que “It’s So Easy (And Other Lies) foi publicado. “New York Times Best-Seller”, o livro de Duff Mckagan ainda não tem previsão de lançamento no Brasil. Enquanto não vemos uma versão traduzida deste livro, Duff fez hoje (16/03) um pequeno chat com fãs e “devoradores de livros”, com duração de uma hora onde respondeu algumas perguntas e tirou grandes duvidas. Confira as melhores perguntas a seguir:


Em algum momento, você chegou a pensar que ao escrever seu livro, acabaria ajudando alguém “viciado”?

Duff – Apesar de não ter sido minha ideia primaria, acabou sendo como um produto paralelo... o que é legal para mim!


Qual foi a melhor memória que você havia esquecido, e que veio à tona ao escrever o livro?

Duff – Uma sensação verdadeira de camaradagem das pessoas em minha vida... no passado e presente.

Qual a maior diferença em escrever suas colunas, e então publicar um livro?

Duff – Um livro tem muito mais palavras que uma coluna. Uma coluna é basicamente uma redação. Um livro é um processo.


Qual foi o capitulo mais difícil de escrever?

Duff – O mais difícil foi relembrar os horrores que passei com meu pobre corpo viciado em drogas. Todas essas sensações voltando.


Qual foi o maior desafio de passar sua historia para o papel?

Duff – Conectar meu computador na impressora.


Agora que está sóbrio, o que acha da cerveja Duff?

Duff – Estou tranquilo quanto a isso.


Voce poderia imaginar que seu livro iria causar tão boa repercussão?

Duff – Não... Foi algo inesperado. Quer dizer... dá pra imaginar?


Você planeja lançar outro livro, talvez do mesmo modo que o Corey Taylor fez com 7 Deadly Sins?

Duff – O livro do Corey foi corajoso e inovador com certeza.


Por quanto tempo você teve um porco?

Duff – Meu porco, Fred? Eu tive ele por mais ou menos 2 anos. Depois disso, ele foi para uma fazenda.

Voce teve algum momento em sua vida, em que você queria desistir de tudo?

Duff – Todo o tempo.


Como você lida com as preocupações de que as outras pessoas “aparecendo” no livro talvez não queiram sua historias/vidas publicadas?

Duff – Eu realmente tentei manter as coisas privadas das outras pessoas fora do meu livro. Mas é claro que você precisa de outras pessoas para contar uma historia.

Por que você nunca tentou os métodos convencionais de reabilitação?
Duff – Eu não conhecia ninguém que estivesse sóbrio em 1994. Essa comunidade não se revelaria para mim até alguns anos mais tarde.


Você tem certas filosofias/abordagens relacionadas à composições, que se traduziram na escrita de seu livro?

Duff – Compor e escrever são ambos abertos a influencias distintas em artes, experiências sociais, coração partido, amor... etc


Qual você pensa ser a maior mentira a respeito de sua vida como um Rockstar?

Duff – Eu nunca me vi como um mítico “Rockstar”. Eu sou apenas um cara que faz o que faz na frente de todos.

 
Duff McKagan Brasil © 2011-2015