sábado, 28 de abril de 2012

Duff: Uma turnê all-star sul-americana

Tradução da coluna do Duff na ESPN:

Duff McKagan está em turnê com grandes nomes, como Gene Simmons , na América do Sul.

Para começar: Você irá ler que eu estou longe e em movimento, e é difícil pra mim me manter por dentro dos esportes americanos, ou qualquer outra coisa nesse assunto. Mas eu vi a cotovelada que Metta World Peace acertou em James Harden. O cara deveria ser expulso da liga [nota: NBA]; Se aquele cotovelo acertasse a nuca de Harden, ele poderia muito bem ser um homem morto. Não há espaço para isso, nem deveria haver temperança para isso. Ponto.

E sim... eu vi que o Mariners teve um jogo perfeito jogado contra eles. Aqui vamos nós, fãs de baseball do Seattle. Afundando. Ugh.

Sobre a atual viagem:

Cerca de três meses atrás, eu recebi uma ligação do [Guns N’ Roses/Velvet Revolver] baterista Matt Sorum, sobre a possibilidade de fazer alguns shows com eles e alguns “outros caras” na América do Sul na primavera. Matt sempre pareceu sonhar um pouco alto, e eu meio que risquei isso como alguma coisa que apenas podia acontecer.

A primavera chegou e eu estou de fato na América do Sul, com Matt e aqueles “outros caras”.

Em Los Angeles, há uma banda de rock chamada Camp Freddy. Na verdade, é mais um coletivo, se você quiser, com a liderança de Matt Sorum, Dave Navarro, Chris Chaney e Billy Morrison. Camp Freddy é especializada em trazer grandes vocalistas – de Ozzy e Lemmy a Elton John, Iggy Pop e Steven Tyler. É sempre divertido ver um desses heróis do rock levantando e indo lá tocar com o Camp Freddy. É cru e refrescante, e alguns de vocês lendo isto deve ter a chance de ir a um show do CF em um lugar ou outro.

Sorum teve a idéia de pegar estar idéia de coletivo e fazer uma turnê monstruosa. Mas como? Todo mundo está sempre em seus próprios ônibus de turnê, e seria difícil encontrar caras que estariam fora de turnê. Mas ele fez isto, e eu agora estou aqui na América do Sul com:

Billy Duffy (The Cult) 
Ed Roland (Collective Soul) 
Steve Stevens (Billy Idol) 
Glenn Hughes (Deep Purple) 
Sebastian Bach (Skid Row) 
Joe Elliott (Def Leppard) 
Mike Inez (Alice In Chains) 
Matt Sorum (Guns N' Roses) 
Gilby Clarke (Guns N' Roses) 
E … Gene "God of Thunder" Simmons (KISS)

Eu pensei que ia ter um material realmente muito bom para esta turnê, como algum alimento para minhas colunas. Mas alguma coisa aconteceu a caminho da América do Sul. Você sabe o que? Esta coisa na verdade realmente chuta algumas bundas. Você meio que esquece como é bom ver músicos realmente bons fazendo sua arte. E o set list é algo imparável. É algo como isto:

"Welcome To The Jungle" (Guns N' Roses) 
"It’s So Easy" (Guns N' Roses) 
"Youth Gone Wild" (Skid Row) 
"Whole Lotta Love" (Led Zeppelin) 
"Wildflower" (The Cult) 
"Highway Star" (Deep Purple) 
"Burn" (Deep Purple) 
"Firewoman " (The Cult) 
"Tie Your Mother Down" (Queen) 
"Animal" (Def Leppard) 
"Pour Some Sugar On Me" (Def Leppard) 
"All The Young Dudes" (Mott The Hoople) 
"Knockin' On Heaven's Door" (Bob Dylan) 
"Paradise City" (Guns N' Roses) 
"Love It Loud" (KISS) 
"Deuce" (KISS) 
"Rock And Roll All Night" (KISS)

Há um pouco mais de músicas no set, mas você já tem uma idéia geral. É uma mistura de músicas dos artistas reais que estão aqui, e é um par de canções que um ou outro simplesmente queria tocar... e isto é absolutamente um set incendiário. 


É uma ótima experiência sair e tocar com caras de outras bandas. É como um Final de Semana das Estrelas na NFL, mas em turnê (bem, para ser justo, é como o velho cara na Final de Semana das Estrelas da NFL). Mas ninguém destes caras tocam como os velhos, e esta música parece mais fresca e de alguma forma relevante para o que está acontecendo agora.
Eu tenho certeza que é provavelmente apenas a emoção de tocar uma música do Kiss ou Deep Purple que faz todo mundo tocar ainda melhor e um pouco mais difícil. E aqui no sul, a música clássica é forte entre os mais jovens. Das 20 mil pessoas que compareceram ao primeiro show no Paraguai, você teria que se esforçar para encontrar alguém com idade superior a 25 anos.

Notas ROCK HALL

O Rock and Roll Hall of Fame aconteceu há algum final de semana atrás, e foi legal ver algumas bandas old-school de longa data juntas para ter suas homenagens.

Como nota pessoal, eu realmente tive um ótimo momento. Nós não tínhamos real certeza se iríamos tocar, até cerca de 24 horas antes do show. Foi ótimo tocar com o baterista Steven Adler novamente, após uns 20 anos. Sorum arrebentou também, e Slash apenas fica melhor a cada dia. Gilby nos honrou com sua presença e ele tem uma “sensação” que encaixa, e mais uma vez salvando a bunda do GNR. Myles Kennedy chegou para cantar, e o cara teve classe e uma tonelada de respeito e humildade. Eu gosto destas qualidades em um cara. Humildade pode deixar a verdadeira força interior respirar.

Foi bem divertido assistir a imagens antigas da lenda do blues Freddie King. Aqueles caras que tinham um puta talento bruto, eram de algum outro mundo... musicalmente falando.


 
Duff McKagan Brasil © 2011-2015