domingo, 10 de junho de 2012

Você nunca sabe quem irá encontrar em um avião

Tradução da coluna do Duff na Seattle Weekly (Reverb):

Beat Connection se apresentando no SXSW


Eu estou escrevendo para você durante meu vôo entre Los Angeles-Seattle desta manhã. Assim que eu me atirei na minha poltrona no avião, eu comecei uma boa conversa com a mulher sentada ao meu lado. Eu tenho o meu cão (Buckley) comigo, e ele tem a habilidade de desarmar as pessoas que só reparam nas tatuagens ou qualquer outra coisa (as pessoas ás vezes ficam aborrecidas quando eu sento próximo a elas).

O nome desta simpática senhora é Madeline Eddy, que está retornando a Seattle para ver seu filho, Tom Eddy, formando na Universidade de Washington. Um dia notável para família de Eddy, com certeza.

Assim que Madeline e eu progredimos em nossa conversa, eu disse á ela que eu era músico e outras coisas, e ela me disse que seu filho Tom estava preste a entrar em turnê – basicamente minutos após sua formatura. Acontece que Tom Eddy é o vocalista da banda favorita de Seattle, Beat Connection.

Mamãe está um pouco preocupada, claro, e esta é a razão de nós, filhos, amarmos nossas mães.

Mas o que ela não sabia, e eu tentei informá-la da melhor forma possível, é que os músicos que viajam quase sempre tem um bom grupo de apoio nas cidades em que eles excursionam. Parece haver uma lei não-escrita em nossa irmandade dizendo que sempre há um lugar para dormir ou um churrasco, no quintal de alguém, que podemos ser convidados a ir.

E Tom Eddy e Beat Connection estão prestes a embarcar em turbilhão adentrando no reino de esperança e fé em si próprios. Algumas coisas que artistas tem bastante: esperança, fé, e na maioria das vezes, alguma unidade tipo A.

Beat Connection esteve no SXSW [nota: Festival musical em Austin, EUA] alguns meses atrás, e foi apontado como um dos favoritos por nós aqui do Seattle Weekly. Muitos de vocês que estão lendo pode certamente ter visto a banda tocar em algum lugar da cidade ou em outro lugar.

Eu ainda sou apaixonado pelo romance e esperança de alguma banda nova correr estes riscos e sair pela estrada e derrubando barreiras daqueles lugares desconfortáveis onde apenas alguns devem ter ouvido suas músicas. Você tem de provar a si mesmo então, e indo lá e tocar naquele palco estranho naquela estranha cidade nova. É isto que a nova música necessita.

Boa sorte para você, Tom Eddy, e para sua banda. Madeline? Tudo está indo bem, e eu confio que a banda do seu filho ficará bem. Eles têm fãs torcendo por eles, e eles nunca serão capazes de saber plenamente do que são capazes como uma banda, até que eles saiam e sofram na estrada, por sua arte.

Isto tudo é tão bonito e atrativo...

(Falando em meu cão Buckley: Estamos a 30 mil pés de altitude e seu ronco está se tornando um pouco embaraçoso).


 
Duff McKagan Brasil © 2011-2015